Reclamar com quem ??

Vou repassar um email que recebi, e espero que o resultado seja grande para espanto de todos no Congresso, ou será que estou sendo muito otimista ?

Após ler este post, eu mandei um email aos senadores de meu Estado, faça o mesmo, cobre os seus direitos, mostre a sua revolta.

Após os lamentáveis fatos ocorridos nesta última semana, onde o Senado da República através de um instrumento que considero de menor dignidade (mas constitucional), que é o voto secreto, promoveu a absolvição do Senador Renan Calheiros. Encaminhei aos Senhores Senadores da República cópia do texto abaixo (veja anexo II) como um ato de indignação e protesto.

Os que responderam (copiei somente alguns para não tornar o e-mail muito extenso, conforme Anexo III), concordaram com minha indignação e ressaltaram que não resta dúvida de que a imagem do Senado, no mínimo, está comprometida.

Objetivando manter os nossos direitos constitucionais e democráticos e preservar esta tão respeitosa instituição. Conclamo a você, cidadão brasileiro, a enviar e-mail aos Senhores Senadores da Republica (veja os endereços de e-mails no Anexo I) para expor parecer favorável à aprovação da PEC (nº 50/2006) de autoria do Senador da República Paulo Paim, que propõe o voto aberto em todas as situações.

Oportunamente solicito que dupliquem este e-mail entre amigos e conhecidos, incentivando-os a fazerem o mesmo.

Precisamos nos unir em torno de nossos interesses, com os instrumentos legais que temos, e exercer nossa cidadania e direitos democráticos.
A próxima questão que devemos estar atentos será em torno da CPMF.

Agradeço a atenção e peço desculpas de expor, de forma tão veemente, minha indignação.

Atenciosamente,
Jorge Luiz de Castro

“Verás que um filho teu não foge a luta… Pátria amada BRASIL” – Hino Nacional Brasileiro

Anexo I

‘adelmir.santana@senador.gov.br’; ‘almeida.lima@senador.gov.br’; ‘mercadante@senador.gov.br’; ‘alvarodias@senador.gov.br’; ‘acmjr@senado.gov.br’; ‘antval@senador.gov.br’; ‘arthur.virgilio@senador.gov.br’; ‘augusto.botelho@senador.gov.br’; ‘cesarborges@senador.gov.br’; ‘cicero.lucena@senador.gov.br’; ‘cristovam@senador.gov.br’; ‘delcidio.amaral@senador.gov.br’; ‘demostenes.torres@senador.gov.br’; ‘edison.lobao@senador.gov.br’; ‘eduardo.azeredo@senador.gov.br’; ‘eduardo.suplicy@senador.gov.br’; ‘efraim.morais@senador.gov.br’; ‘eliseuresende@senador.gov.br’; ‘ecafeteira@senador.gov.br’; ‘expedito.junior@senador.gov.br’; ‘fatima.cleide@senadora.gov.br’; ‘fernando.collor@senador.gov.br’; ‘flavioarns@senador.gov.br’; ‘flexaribeiro@senador.gov.br’; ‘francisco.dornelles@senador.gov.br’; ‘garibaldi.alves@senador.gov.br’; ‘geraldo.mesquita@senador.gov.br’; ‘gerson.camata@senador.gov.br’; ‘gilvamborges@senador.gov.br’; ‘heraclito.fortes@senador.gov.br’; ‘ideli.salvatti@senadora.gov.br’; ‘inacioarruda@senador.gov.br’; ‘jarbas.vasconcelos@senador.gov.br’; ‘jayme.campos@senador.gov.br’; ‘jefperes@senador.gov.br’; ‘joaodurval@senador.gov.br’; ‘joaopedro@senador.gov.br’; ‘joaoribeiro@senador.gov.br’; ‘jtenorio@senador.gov.br’; ‘j.v.claudino@senador.gov.br’; ‘jonaspinheiro@senador.gov.br’; ‘jose.agripino@senador.gov.br’; ‘jose.maranhao@senador.gov.br’; ‘josenery@senador.gov.br’; ‘sarney@senador.gov.br’; ‘katia.abreu@senadora.gov.br’; ‘leomar@senador.gov.br’; ‘lucia.vania@senadora.gov.br’; ‘magnomalta@senador.gov.br’; ‘maosanta@senador.gov.br’; ‘crivella@senador.gov.br’; ‘marco.maciel@senador.gov.br’; ‘marconi.perillo@senador.gov.br’; ‘maria.carmo@senadora.gov.br’; ‘mario.couto@senador.gov.br’; ‘marisa.serrano@senadora.gov.br’; ‘mozarildo@senador.gov.br’; ‘neutodeconto@senador.gov.br’; ‘osmardias@senador.gov.br’; ‘papaleo@senador.gov.br’; ‘patricia@senadora.gov.br’; ‘paulo.duque@senador.gov.br’; ‘paulopaim@senador.gov.br’; ‘simon@senador.gov.br’; ‘raimundocolombo@senador.gov.br’; ‘renan.calheiros@senador.gov.br’; ‘renatoc@senador.gov.br’; ‘romero.juca@senador.gov.br’; ‘romeu.tuma@senador.gov.br’; ‘rosalba.ciarlini@senadora.gov.br’; ‘roseana.sarney@senadora.gov.br’; ‘sergio.guerra@senador.gov.br’; ‘sergio.zambiasi@senador.gov.br’; ‘serys@senadora.gov.br’; ‘siba@senador.gov.br’; ‘tasso.jereissati@senador.gov.br’; ‘tiao.viana@senador.gov.br’; ‘valdir.raupp@senador.gov.br’; ‘valterpereira@senador.gov.br’; ‘wellington.salgado@senador.gov.br’

Anexo II
—–Mensagem original—–
De: Jorge Castro [mailto:jorge.hizqui@uol.com.br]
Enviada em: quinta-feira, 13 de setembro de 2007 11:50
Para: Jorge Castro
Assunto: O Jardim Secreto …

Excelentíssimo Senhor(a) Senador(a) da Republica do Brasil.

“Era uma vez um país ao sul da linha do Equador. Neste país um estranho povo podia quase tudo. Mas algumas coisas eram proibidas naquele Jardim do Éden. Você podia torcer pelo seu time de futebol ou pela sua escola de samba. Mas estava proibido de escolher o síndico do seu país. Por causa de uma tal “segurança nacional”.
Foi nesse clima tropical que alguns políticos mais afoitos iniciaram um movimento pelas “Diretas Já”. No inicio era um Exército de Brancaleone. Mas para espanto da mídia, horror dos militares e surpresa do próprio Brancaleone, o povo resolveu aderir.
Porém, no dia 25 de abril de 1984, quando seria votada a emenda, o Brasil acordou amputado. Sua capital foi seqüestrada do restante do país.
Decidiram votar em segredo. O Congresso foi cercado pela cavalaria.
Quem desejava notícias, apenas encontrava silêncio.
O Jardim do Éden era o Jardim Secreto.
E o sonho acabou por causa de 22 votos.
Hoje, Brasília se reuniu em plena democracia para uma nova tentativa de transformar o Jardim do Éden em Jardim Secreto. Constitucionalmente.
Não foram necessários cavalos.
Novamente o silêncio triunfou.
Gostaria de dizer que fiquei triste como da primeira vez, mas estaria mentindo.
Algo em mim já não se surpreende.
Nem com a maçã, nem com a serpente”.

Por Roberto Vieira, Globo On-line 12/09/2007.

Sem mais nenhum comentário a fazer!

Subscrevo-me.
Jorge Castro
+55 21 92372816

Anexo III
De: Sen. Paulo Renato Paim [mailto:PPAIM@senado.gov.br]
Enviada em: quinta-feira, 13 de setembro de 2007 17:00
Para: jorge.hizqui@uol.com.br
Assunto: Votação no Senado

Entendo sua indignação e reafirmo mais uma vez minha posição: votei pela perda do mandato.

Estou no Congresso Nacional há 21 anos. Como constituinte defendi o fim do voto secreto. Foi meu primeiro pronunciamento quando tomei posse, ainda como Deputado Federal.

Há mais de uma década apresentei projeto para extinção do voto secreto.Aqui no Senado, ainda em 2006 apresentei a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 50 que propõe o voto aberto em todas as situações.

Anunciei há mais de um mês que votaria pela perda do mandato do Presidente do Senado. Essa decisão foi publicada em todo país através da imprensa.

Em inúmeras entrevistas que concedi já havia previsto que o voto secreto  apresentaria um resultado diferente da Comissão de Ética, onde o voto foi aberto.

Essa situação já aconteceu por diversas vezes na Câmara dos Deputados e agora no Senado. Por isso aprovei requerimento de audiência pública para discutir o fim do voto secreto no Congresso Nacional.

Espero que esse momento de reflexão nacional sirva para aprovar minha PEC (nº 50/2006).

Minha luta não é de última hora!!

Saudações respeitosas,

PAULO PAIM

Senador-PT/RS

De: Sen. Alvaro Dias [mailto:ALVARODI@senado.gov.br]
Enviada em: sexta-feira, 14 de setembro de 2007 11:08
Para: Jorge Castro
Assunto: RES: O Jardim Secreto …

Não resta dúvida de que a imagem do Senado está comprometida com a absolvição do presidente Renan Calheiros. Por isso a indignação da sociedade brasileira é compreensível.Fiz o que estava ao meu alcance. Votei de acordo com o meu Partido – o PSDB, que fechou questão em torno do voto pela cassação, do mesmo modo que os Democratas. Assim sendo, não  vale culpar a Oposição e nem fazer generalização jogando a culpa pela absolvição sobre todos os senadores. Foram 35 votos pela cassação e 40 pela absolvição, com seis abstenções, que na realidade significaram a absolvição. O PT  e o seu Governo foram os grandes responsáveis por esse resultado que mantém o Senado sangrando, pois, três outros processos  ainda tramitam no Conselho de Ética contra o presidente do Senado. A crise continua com danos irreparáveis à imagem do Senado. Abaixo está a nota que a minha assessoria distribuiu à imprensa com um resumo do que penso sobre a absolvição do senador Renan Calheiros.
Cordialmente,
Alvaro Dias
alvarodias@senador.gov.br
Visite a nossa Pagina de Internet em http://www.alvarodias.com.br

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s